>Ainda a liminar do TRT e o arranca-rabo de classes.

>

Vejam abaixo um pequeno trecho da liminar proferida pelo desembargador Luís Carlos Cândido Martins Sotero da Silva, Presidente do TRT. A íntegra, caso interesse, pode ser lida no blog do Reinaldo Azevedo.
A par disso, é bem verdade, o princípio da ordem econômica e livre concorrência, mas desde que fundada na valorização do trabalho humano, assegurando a todos uma existência digna e conforme os ditames da justiça social, priorizando os valores sociais do trabalho sobre os valores da sociedade capitalista
Despiciendos maiores comentários, não é? Sempre que alguém emprega a expressão “sociedade capitalista” em sentido pejorativo, contrapondo-a a chavões pogreçistas como “justiça social” e “existência digna”, um alarme começa a soar aqui dentro deste coração democrático. Fica evidentemente claro que o ilustre magistrado tratou de alimentar, por meio de sua liminar esdrúxula, a tal luta di craçe.

“Mas o emprego realmente proporciona uma existência digna ao homem.”, dirão os mais afobados. Sim, concordo. Só não entendo por que criar um paralelo entre uma efetiva existência digna do trabalhador e a derrota dos tais “valores da sociedade capitalista”? Sabem qual é o corolário disso que foi rabiscado pelo julgador? Que onde vigem os “valores da sociedade capitalista”, não há existência digna, nem justiça social. E, sim. Eu sei que um montão de gente concorda com isso. O que não torna a coisa toda menos estúpida, convenhamos.
De fato, debruçado sobre a história do mundo, posso dizer que as tais “alternativas” ao capitalismo foram especialistas em acabar com a existência digna e com a tal justiça social. E antes que algum alvoroçado venha pichar o blog, adianto: não estou dizendo que a “sociedade capitalista” é perfeita. Só afirmo categoricamente que as alternativas a ela provocaram sempre MORTE, MISÉRIA E TERROR. Estou errado? Desafio qualquer um a me mostrar, com fatos, o contrário.
O que vai acima transcrito é apenas a repetição de um dos postulados mais basilares da ideologia sanguinária cunhada por Marx. Foi ele quem começou a empregar o termo “sociedade capitalista”, para descrever todos os males do mundo. Mais tarde, infelizmente, a história mostrou que qualquer problema do capitalismo é coisa de amador se comparado ao inferno comunista.
“Quer dizer que o desembargador não pode ter uma ideologia e denfeder seus valores?” Claro que pode. Quem disse o contrário? O que não pode é proferir uma decisão (importantíssima!) com base apenas na crença em uma ideologia assassina e sanguinária, rejeitada pela história. Se a tal “sociedade capitalista” o incomoda tanto, sugiro que abandone a toga e tenha a coragem de fazer o que o velho Marx mandou: pegar em armas contra a – como é mesmo? – “burguesia”. E deixe a tarefa de julgar os processos para aqueles que acreditam na democracia.
Anúncios

9 ideias sobre “>Ainda a liminar do TRT e o arranca-rabo de classes.

  1. Catarina

    >E o que ele propõe? Sim, porque é fácil e bonito criticar as empresas, o mercado e a sociedade capitalista pelas demissões. Mas será que o douto juiz elogiou a empresa (e a sociedade capitalista) quando foram realizadas as contratações em massa? Ridículo!

    Resposta
  2. George

    >Então abaixo a sociedade capitalista!E vamos construir a revolução comunista, como quer o senhor desembargador.Que piada!

    Resposta
  3. Anonymous

    >Ué, não entendo o blogueiro. Vai dizer agora que não estamos em uma sociedade capitalista? A Embraer não é capitalista? As demissões não são próprias do capitalismo? Por que contesta os argumentos do juiz? Porque ele teve coragem de jogar na cara de vocês (membros da sociedade capitalista) as suas culpas?

    Resposta
  4. Mauro

    >E o tal juiz, é o quê? Não é da sociedade capitalista, ganhando os rios de dinheiro que ganha? Que palhaçada! Isso não é uma liminar. São embaixadinhas pra torcida da CUT.

    Resposta
  5. Germano

    >Depois de umas breves férias, uma mudança de endereço e um importante período de adaptação, aqui estou eu, de volta.E bem na hora de comentar o ridículo desse juiz. Que diabos ele pretendia com isso?! Agradar a CUT? O PT? Quer ser candidato nas próximas eleições?

    Resposta
  6. Notívago

    >O anônimo tem razão. As demissões são mesmo próprias de uma sociedade capitalista. Assim como os fuzilamentos e os gulags são próprio de uma sociedade comunista. O que ele prefere? Eu prefiro ficar desempregado, se for o caso.

    Resposta
  7. Anonymous

    >Só posso parabenizar o ilustre magistrado e sua coragem de mostrar ao mundo as coisas como realmente são. O capitalismo é o inferno na terra, com exploração desmedida do homem pelo homem, até a morte. Dignidade humana e justiça social são mesmo incompatíveis com o capitalismo. Até que ele seja derrubado pelo povo, vão continuar acontecendo coisas lamentáveis, como as demissões em massa e o assassinato de trabalhadores. Parabéns de novo ao juiz.

    Resposta
  8. Augusto Cesar

    >Vai ver o meretíssimo gostaria de viver em uma sociedade que não fosse capitalista. Talvez ali ele se sentisse mais confortável levando umas balas na nunca sempre que proferisse uma decisão atacando a sociedade em questão.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s