>Filho de Sarney escondia dinheiro na Suíça.

>

Vejam o que vai abaixo, publicado na Folha (íntegra aqui):
O governo suíço achou e bloqueou conta de US$ 13 milhões controlada pelo filho mais velho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB). Os depósitos foram rastreados a pedido da Justiça brasileira, por suspeita de que a família do senador tenha remetido ilegalmente dinheiro para fora do Brasil.
Os depósitos estão em nome de uma empresa e eram movimentados exclusivamente por Fernando Sarney, que cuida dos negócios da família no Maranhão. O dinheiro não está declarado à Receita Federal, segundo a Folha.
(…) O bloqueio determinado pelos suíços ocorreu quando Fernando tentava transferir recursos daquele país para o principado de Liechtenstein, conhecido paraíso fiscal entre a Áustria e a Suíça.
Trata-se de um bloqueio administrativo, adotado preventivamente quando há suspeitas sobre a natureza do dinheiro. Se comprovado que o dinheiro tem origem ilícita, como corrupção ou fraude bancária, o bloqueio passa a ter caráter criminal, e os recursos podem ser repatriados ao país de origem.
(…) Essa é a segunda conta no exterior movimentada por Fernando que foi rastreada pelas autoridades brasileiras e não informada à Receita Federal. (…)
Ai, ai, ai… Que feio! Que menino mais levado! Vai deixar papai muito bravo! Vai apanhar na mãozinha desse jeito!
Sim, meus caros… Só nos resta fazer piada… Lembro de De Gaulle: “Le Brésil n’est pas un pays sérieux”… E, de fato, não somos um país sério. Fosse sério, José Sarney teria de renunciar à Presidência do Senado, ao mandato, à vida pública e até a sua posição na Academia Brasileira de Letras! Exagero? Que nada! Quem exagera são os japoneses, que, ao descobrir um caso semehante ao retratado acima, cometem suicídio.
Não tem muito o que escrever. Sarney é quem é. Difícil pensar que sua prole fosse diferente… Agora é esperar pelas quatro fases da corrupção brasileira: 1) A surpresa; 2) A negação; 3) A justificação por meio de alguma mentira barata; e 4) A alegação de que “todo mundo faz a mesma coisa”.
Em horas como esta, quando vejo o nome de Sarney na lama, me lembro de Lula, aquele que o chamou de incomum… Como tinha razão o Presidente! Só um homem incomum tem um filho capaz de movimentar 13 milhões de dólares de forma ilegal no exterior!
Imaginem que aqui, no Amapá, ainda há muitas pessoas que defendem com unhas e dentes a “obra de Sarney”. Sim, eu juro! Não posso negar que me sinto moralmente superior ao olhar nas fuças dessa canalha e pensar: “E aí? Vai continuar defendendo o maranhense?!”
Anúncios

3 ideias sobre “>Filho de Sarney escondia dinheiro na Suíça.

  1. Meton Jucá Junior

    >Proponho ao nobre blogueiro uma investigação nas contas do filho do Pet. Lula. Imagino que deve ser coleguinha do rebento do Pte. do Senado. Ambos filhos de …. "incomuns".

    Resposta
  2. Arthurius Maximus

    >Você é mesmo um "porco direitista". Sarney tem uma "biografia". Está "acima de qualquer um de nós" e não pode ser considerada uma "pessoa comum". Palavras do "grande líder" Lula.Agora, duro mesmo é ver a petralhada defendendo esse discurso de Lula nos palanques.

    Resposta
  3. Anonymous

    >A forma como os políticos agem reflete os valores da sociedade, pelo menos de uma forma geral. Quem vota em um indivíduo sabidamente corrupto e ainda o defende é porque, no mínimo, ¨se estivesse lá faria o mesmo¨. Não tem direito de falar mal de político corrupto, como também deve ficar calado quando andar em estrada esburacada, quando não for atendido em hospital público, quando se sentir inseguro pela falta de segurança pública ….

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s