>Copa.

>

Hora de discutir um pouco essa coisa “pequeno-burguesa” que é o futebol – um entretenimento criado pelazelite para alienar ozoprimido.
A Copa do mundo começou muito sem graça, cheia de jogos aborrecidos e de futebol medíocre. Culpa da FIFA e do pensamento politicamente correto, que a levou a colocar um monte de timecos vagabundos e sem qualquer tradição – ou capacidade técnica – no torneio. Tudo em nome da tal “inclusão”, da tão falada “democratização” do futebol. Uma pinóia! Eu lá tô preocupado com a “inclusão” de Algéria, Eslovênia e Nova Zelândia? Eu quero é ver jogo bom! Mas a FIFA resolveu nos dar uma Copa chata, é uma Copa chata que temos.
Ao final da primeira rodada, temos duas grandes surpresas: 1) O baile futebolístico encenado pela Alemanha; e 2) A quebrada de cara da toda poderosa Espanha.
Se a Alemanha, cheia de tradição e força, continuar mesmo com esse futebol leve, solto e eficiente, se torna favoritíssima ao título, principalmente porque as outras favoritas não estão fazendo nada digno de muita nota. Não custa, porém, manter as cautelas de praxe: é muito cedo para qualquer veredicto, pois tudo pode mudar ainda no decorrer da competição. Até por isso não se pode excluir a Espanha dos jogos, mesmo depois do péssimo resultado de hoje… É fato que a “fúria” jogou até bem e, se resolver seu bloqueio psicológico, pode chegar longe.
A França já era! O time está velho, fraco e, o que é mais grave, desmotivado. E a motivação – assim como o preparo físico – é algo fundamental num torneio tão curto.
A Argentina? Nah… Eles têm atacantes muito bons, mas o conjunto da obra é patético! A defesa deles é uma peneira, o que prova a incapacidade de Maradona – afinal ele conta com Walter “The Wal” Samuel. Um time tão “Messidependente” assim não pode ir longe, pois o gnomo argentino sempre amarela quando veste aquela camisa.
Os ingleses não venceram na primeira rodada, mas parece que tudo foi culpa dos chifres levados pelo goleirão deles… Tudo, certo. Dá pro time de Fabbio Capello se recuperar e chegar longe. Os caras têm um time equilibrado, eficiente e parecem bem centrados. Não são meus favoritos, mas não me surpreenderia se chegassem à final.
E os holandeses? Estreia meia-boca, com direito a gol contra e tudo. Mas jogaram até bem, principalmente se considerarmos que Robben, um dos principais nomes do time, ainda não atuou. Concordo com quem diz que essa pode ser a Copa da Holanda, mesmo fazendo a ressalva de que falta camisa à “laranja mecânica”…
E o Brasil? Bah, não acredito nesse bando de peladeiros que Dunga levou! Viram o jogo de ontem? Ridículo! O time é pateticamente torto pra direita (pro lado do Maicon) e, apesar de ter “zilhões” de volantes em campo, não consegue neutralizar nem a fraquíssima Coreia do Norte. Não tenho como acreditar que chegue longe com esse futebolzinho de araque.
“Ah, mas em 1994 era assim também”, dizem alguns. É. Só que há uma substancial diferença: onde hoje temos Robinho e Luís “Fabuloso-who?!” Fabiano, outrora tínhamos Bebeto e Romário… Despiciendos ulteriores comentário, não é mesmo?
Encerro falando da gloriosa seleção da Itália, a minha Squadra Azzurra. Os italianos estrearam no perrengue, empatando um jogo truncado e brigado com o Paraguai, sem que tenham apresentado brilho em nenhum momento da partida. A Itália, até por conta de suas próprias atuações, está bastante desacreditada. E é exatamente por isso que ela deve ser temida!
O futebol italiano nunca foi de encantar ninguém. A Itália, quando chegou forte nas Copas, sempre foi no sufoco, no sofrimento e em jogos duros e brigados. Que seja assim mais uma vez!
FORZA, AZZURRI!!!
Anúncios

4 ideias sobre “>Copa.

  1. Rodrigo Aguiar

    >Concordo com quase tudo, mas colocaria a Itália no mesmo patamar da França, embora a sua tradição possa pesar a favor na fase de mata-mata. Quanto ao Brasil, esses mesmos peladeiros ganharam títulos e despacharam, com placares elásticos, seleções como Itália, Portugal e os fracos hermanos. Minhas seleções favoritas? Inglaterra e Alemanha. E claro, o Brasil.

    Resposta
  2. Renato

    >Quem torce pra Itália sendo nascido no Brasil não deveria ser autorizado a criticar esse país. Tá aí a explicação de tantos posts ridículos. É essa síndrome de vira-lata. Acha que é melhor se declarar italiano pra não ser um "vira-lata" brasileiro. Como se a Itália fosse um país com economia respeitável, políticos honestos e pessoas que se importam uns com os outros. Mas me divirto com seus comentários parciais.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s