>Enfim, a oposição.

>

Leiam alguns trechos do discurso de José Serra feito ontem, em São Paulo:
– O caso da Receita: “As notícias estão aí, o segredo fiscal de pessoas que o governo identifica como adversárias foi quebrado por gente na Receita evidentemente a serviço de uma operação político-partidária”.
– O efeito Palocci: “Quando se viola o sigilo bancário de um caseiro, viola-se a Constituição. […] Não perguntem jamais quem é Francenildo. Francenildo são vocês. Francenildo somos nós. […] Exijo é que se respeitem os Francenildos e as Marias, os Josés e as Anas”.
– A tirania: “[…] Quando os tiranos, ou candidatos a tiranos, desejam subjugar uma sociedade aos seus propósitos, começam restringindo a liberdade. Minando a liberdade dos outros”.
– O controle da mídia: “Dia sim outro também, alguém deste governo fala em controlar a imprensa. O partido do governo sonha com o dia em que vai poder censurar a imprensa. A expressão, bonita, é ‘controle social’, como se a palavra ‘social’ pudesse legitimar o conteúdo horroroso. […]”.
– A analogia nazista: “Eles seguem a receita repugnante, repudiada pela história, de que a mentira repetida mil vezes se transforma em verdade [Joseph Goebbels]. Só que eles não sabem que a receita está errada. O povo não é bobo”
– A falta de caráter: “Claro que há avanços, pois este governo teve a felicidade de colher o que os outros plantaram. Talvez estejamos assistindo à mais escancarada exibição de falta de caráter de que se tem notícia na história. A ingratidão é um defeito de caráter, a ingratidão é a cicatriz que revela uma alma complicada”.
– A crítica a Lula: “Vocês não imaginam a tristeza que eu sinto quando vejo o governo do meu país transformado num porta-voz planetário de todo tipo de ditador, de facínora, de genocida ou candidato a genocida. Transformaram o Brasil num avalista dos negadores de que tenha existido um Holocausto contra os judeus na Segunda Guerra Mundial [Mohmoud Ahmadinejad].
– As diferenças em relação a Dilma: “[…] Nós não nos escondemos, não somos bonecos de ventríloquo, não precisamos andar na garupa de ninguém. Nós, acima de tudo, não somos produto de uma fraude. Não tenho nada a esconder do meu passado; não preciso que reescrevam a minha vida excluindo passagens nada abonadoras; não preciso que tentem me vender, como se eu fosse um sabonete; não preciso de marqueteiro que mude a minha cara, o meu pensamento, a minha trajetória de vida. Ninguém precisa dizer à população quem sou eu. Inventar coisas que não fiz e esconder coisas que fiz. É a minha vida pública que diz quem sou. […] Não fui inventado por ninguém!
Finalmente, depois de oito anos assistindo o PT governar e “privatizar” cada feito do governo FHC, alguém da oposição assume uma postura de… oposição! Minha dúvida é: por que esperaram tanto tempo?
Anúncios

Uma ideia sobre “>Enfim, a oposição.

  1. Nelson'

    >A verdade escancarada, em tempos tão F***, até assusta quem a tanto tempo só ouve mentiras.Estou saindo do ninho comunista(escola) e me lembro tristemente da época- nem tão longínqua- em que eu defendia ideias referentes à essa utopia reversa. Hoje a luz da razão clareia os pensamentos deste que vos escreve.Serra, assim como toda a direita(incluam-se "centro e todas as outras bandas") brasileira tem que se contrapor à ufanização da esquerda, em atitudes enfáticas de exposição e reafirmação ideológica ,como esta dada por Serra.Para retirar do povo brasileiro essa ideia "privatizada" de um falso banditismo direitista, quando é na esquerda que a podridão reside.Demorou, mas – Como é mesmo?" -, antes tarde do que nunca.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s