>Eleições 2010 – Ibope aponta queda de políticos presos no Amapá.

>

Leiam o que vai abaixo, publicado no G1:
Pesquisa realizada pelo instituto Ibope no estado do Amapá mostra uma queda nas intenções de voto nos candidatos presos pela Operação Mãos Limpas da Polícia Federal. O governador Pedro Paulo Dias (PP) e o ex-governador Waldez Góes (PDT), que disputa o Senado, estão presos desde sexta-feira (10).

O Ibope entrevistou 812 eleitores entre 10 a 12 de setembro. A pesquisa foi encomendada pela Rede Amazônica, que reúne as afiliadas da TV Globo na região Norte, e está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AP) sob o número 7156/2010 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o protocolo 29.591. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Na disputa pelo governo do estado, Lucas Barreto (PTB), que conta com o apoio de José Sarney (PMDB), lidera com 34% das intenções de voto, seis pontos percentuais a mais do que tinha na pesquisa do instituto divulgada no mês de agosto. Em segundo lugar aparece Jorge Amanajás, que foi de 21% para 23%. Ele é presidente da Assembleia Legislativa e teve de prestar depoimento na sexta por suposto envolvimento com o caso.

Na terceira posição aparece Camilo Capiberibe (PSB), único candidato a explorar o escândalo no horário eleitoral. Ele foi de 10% para 17%. O atual governador caiu para a quarta posição. Ele tinha 19% e agora tem 10%. Genival (PSTU) manteve 1% no levantamento. Votos brancos e nulos somam 3% e os indecisos, 10%.

Senado
Na disputa para o Senado a pesquisa mostra uma queda de Góes. Ele liderava a pesquisa na sondagem anterior com 38% e agora tem 35% e está numericamente em quarto lugar.

A pesquisa mostra um empate técnico entre quatro candidatos ao Senado. João Capiberibe (PSB) subiu de 30% para 39%, Randolfe (PSOL) tinha 21% e agora aparece com 36%, Gilvam Borges subiu de 28% para 36%. Com a margem de erro, todos eles estão empatados tecnicamente com Waldez Góes.

Atrás deles, na quinta posição, aparece Papaléo Paes (PSDB), que subiu de 11% para 12%. Professor Marcos (PT) caiu de 4% para 3% e Cláudio Vigilante (PSTU) não alcançou 1%.
Veja o resultado completo para a disputa pelo governo:
Comento:
Não é novidade que vejo com certo ceticismo as pesquisas de opinião feitas no Amapá… Não! Não pensem que dou trela a alguma teoria conspiratória. Não acho que o Ibope se venda para este ou aquele candidato. Nada disso. Só acho que, bem… eles não se esforçam mais do que tanto nas pesquisas feitas aqui… Por exemplo: por que o Ibope não divulga os dados detalhados (como os cruzamentos de informações) das pesquisas feitas aqui? Será que não os tem? Ou ainda: por que nuna são divulgadas no site as metodologias e os locais das entrevistas? Enfim… Não me convencem mais do que tanto. Apesar disso, tecerei uns comentários sobre o último levantamento, afinal foi feito depois da devassa promovida pela “Operação mãos limpas”. Adiante:
Disputa para o Governo:
Para que qualquer análise da pesquisa Ibope seja possível, é necessário que tomemos os números como sendo corretos. É o que farei a partir de agora: em CNTP, parece bastante lógico acreditar que a liderança relativamente folgada de Lucas Barreto seja de fato verdadeira. Ele parece ter conseguido se apresentar como uma espécie de “outsider” nesta eleição (nem Dias/Góes, nem Capiberibe) – apesar de contar com o apio de Sarney, segundo o que foi dito pelo G1…
Lucas vem tentando se caracterizar como uma “terceira via”. E parece estar conseguindo sucesso: sua trajetória e ascendente e sua liderança, a essa altura da campanha, parece bastante confortável. Depois dos escândalos que derrubaram a cúpula do poder no Amapá, fico com a impressão de que ele conseguiu capitalizar muito do “sentimento de revolta”. Bom pra ele! Acho que, dado o contexto atual, dificilmente ficará fora do segundo turno.
Jorge Amanajás e Camilo Capiberibe estão separados por 6% das intenções de voto. Isso torna a disputa pelo segundo lugar imprevisível, principalmente porque a margem de erro da pesquisa (3%) indica que ambos poderiam estar empatados… A linha que indica a trajetória de Amanajás é estável, ao passo que a de Camilo tem oscilado mais: ele teria caído muito e, agora, subido bastante também. Se houver mesmo uma tendência de crescimento a favor do candidato do PSB, acho inevitável que ele chegue no segundo turno. O duro é saber se há tal tendência – e aqui voltamos aos “problemas” dessas pesquisas do Ibope, sem detalhes mais aprofundados…
É natural que Camilo experimente algum crescimento depois dessa onda de escândalos, afinal ele faz oposição ao atual grupo de governo. A dúvida é: qual o limite para esse crescimento? Historicamente, o grupo político dos Capiberibe sempre conseguiu, no mínimo, um percentual entre 20~25% no Amapá. Se Camilo conseguir atingir esse patamar, acho que se garante no segundo turno. Conseguirá? Difícil dizer…
O atual governador, Pedro Paulo, preso na semana passada pela Polícia Federal, sofreu uma queda importante: perdeu 9% e agora aparece com 10% dos votos. Os números não parecem falsos, afinal é natural que a população se sinta revoltada e puna o candidato. Minha dúvida é: como se darão as coisas daqui por diante?
Desde o início, considerei o atual governador favorito para estar no segundo turno, afinal conta com o apoio da máquina administrativa do Estado. Obviamente que um fato novo como a “Operação mãos limpas” embaralha as cartas novamente… Qual será o impacto efetivo? O povo realmente decidiu virar as costas para o atual grupo de poder? Ou essa queda dele nas pesquisas foi fruto apenas de uma reação de momento (de “cabeça quente”)? Temo que com a volta dele à disputa – se for (como deve ser) solto pela PF -, as coisas voltem a ficar incertas… Não me surpreenderia se o discurso da vitimização encontrasse eco nas camadas menos esclarecidas e mais pobres, levando o atual governador a crescer novamente nas pesquisas… Torço, é claro, para que isso não aconteça!
Disputa para o Senado:
Na disputa para o Senado há uma indefinição clara. Impossível negar que o cenário é absolutamente incerto. Duas tendências, porém, parecem estar um tanto quando evidenciadas: o crescimento das intenções de voto para Capi e Randolfe. O candidato do PSB pasou de 30% para 39%, enquanto que o do PSOL foi de 21% para 36%, tendo registrado a maior curva de crescimento da campanha. Além disso, é possível observar que a curva do ex-governador Waldez tem sido sempre decrescente: começou com 51%, caiu para 38% e, agora, apareceria com 35%.
Apesar disso, estão todos os candidatos rigorosamente empatados tecnicamente dentro da margem de erro: Capi com 39%, Randolfe com 36%, Gilvan com 36% e Waldez, o ex-governador preso pela PF na “Operação mãos limpas”, com 35%. Difícil fazer qualquer prognóstico, mas, ainda assim, me arriscarei aqui: acho que a tendência apresentada por Randolfe autoriza dizer que ele dificilmente ficará fora. Está claro que conseguiu, como político de oposição ao atual grupo de poder, capitalizar o sentimento de revolta decorrente dos escândalos locais. O mesmo movimento parece favorecer também Capi, mas há um diferencial: o candidato do PSB pode ser afastado da disputa se a decisão do TSE, que o considerou “ficha suja”, for confirmada pelo STF.
Em qualquer lugar minimamente civilizado, Waldez não teria chances depois de ter sido preso pela PF por suspeita de corrupção. Mas o Amapá é diferente… E com duas vagas para o Senado em disputa, e todo o apoio das máquinas estaduais e municipais por trás, é perfeitamente possível que ele consiga se eleger. Da mesma forma, Gilvan pode lucrar com o acontecido porque pode capitalizar parte dos votos que iriam para Waldez. Tudo depende de como será o sentimento do eleitor a médio prazo – a curto já vimos que eles pareceram rejeitar os políticos envolvidos no episódio.
—–
P.S.1: Lembro que a análise acima só vale em CNTP, ou seja, se considerarmos os dados do Ibope como sendo corretos. Eu, como já dito, tenho lá algumas dúvidas…
P.S.2: Já afirmei no passado que votarei em branco para o Governo do Amapá. Nenhum dos candidatos em disputa me inspira confiança. Segundo o Ibope, essa é a pretensão de 3% do eleitorado, ou seja, nós, que votamos em branco, já temos três vezes mais votos que o candidato do PSTU! E vamos crescer mais! Quem sabe até superamos o atual governador, Pedro Paulo?
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s