>Operação mãos limpas: finalmente um ato público CONTRA os políticos presos.

>

Surrupiei a nota abaixo daqui.
Considerando os últimos acontecimentos escandalosos, envolvendo os poderes executivo e legislativo, resultantes da Operação Mãos Limpas da Polícia Federal, o Movimento Mão Limpas, composto pelas entidades abaixo, chama todos os cidadãos e cidadães amapaenses, as entidades civis e as organizações sociais, comprometidas com a democracia e com o combate à corrupção, para um importante ato público em favor da sociedade, por justiça, contra a corrupção e pelo afastamento definitivo do governador da direção do estado do Amapá. A ato ocorrerá no dia 15, quarta-feira, a partir das 8 horas, em frente a SEED. Como desdobramento o movimento passará pela Assembléia Legislativa, a Secretaria de Saúde e finalizará as atividades em frente ao Palácio do Setentrião. A sociedade, mais do que nunca, precisa se posicionar de forma contundente frente a este estado de coisas, especialmente considerando a postura adotada pelo Des., e governador interino, Douglas Evangelista, que ao invés de assumir uma postura  moralizadora e coerente parte em defesa do conselheiro preso, Júlio Miranda, e diz que não vê problema
nenhum no retorno do governador ao “seu cargo”. Esta é a hora da sociedade demonstrar sua força e sua indignação.
Basta de corrupção!
MOVIMENTO MÃOS LIMPAS
Sindicato Nacional dos Servidores do MPU-AP
Comitê Eleições Limpas
SINDESAÚDE- UNIDOS PRA LUTAR!
DCE e Centros Acadêmicos UNIFAP
Sindicato dos Servidores Municipais de Santana
FESFEAP
Casa da Cultura
GHATA
Pastorais da Igreja Católica
CTB
Fórum da Amazônia Oriental
Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral
Comento:
Acho válida qualquer manifestação (pacífica e feita dentro da legalidade) contra os políticos presos pela Polícia Federal durante a “Operação mãos limpas”, o que não quer dizer, evidentemente, que eu concorde com a pauta de todos os movimentos ali presentes. Independentemente disso, é importante mostrar que não apenas manifestações vergonhosas são feitas no Amapá.
Um dos organizadores me convidou a participar, mas eu recusei. Perguntei quem estava organizando, e ele me respondeu dizendo que era uma iniciativa dos “movimentos da sociedade civil”. Hum… “Sociedade civil”? Não me representa! Sou, como vocês sabem, um entusiasta do indivíduo… Não me sinto, pois, muito confortável dividindo “palco” com movimentos e “lideranças sociais” que têm uma agenda política diferente. É do jogo. Eles jogam a partida deles na rua, fazendo manifestação. Eu jogo a minha aqui, escrevendo.
P.S.: Ainda ontem, ao passar de bicicleta pelo monumento do Marco Zero do equador, me deparei com uma enorme manifestação de simpatizantes dos políticos presos pela PF. Parei, desci e perguntei a várias pessoas qual o objetivo do evento. As três primeiras, com um ar de “eu fui trazido aqui, mas não sei do que se trata”, não souberam dizer. Mas aí encontrei um cara que tinha a maior pinta de “liderança política”. Ficava lá, mandando gente para um lado, e para outro; exortando todo mundo a agitar as bandeiras com mais entusiasmo. Aproximei-me dele e travamos o seguinte diálogo:
Eu: Olá. Qual o objetivo dessa manifestação?
Ele: Você é jornalista?
Eu: Não. Só sou curioso mesmo.
Ele: Essa é uma manifestação contra a tentativa de golpe da Polícia Federal.
Pois é… #Vergonhaalheia na velocidade cinco do créu, como vocês podem imaginar… Se a manifestação descrita ao início, em repúdio aos políticos presos, servir de contraponto a coisas bizarras como a de ontem, já terá cumprido seu papel. Boa sorte aos envolvidos.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s