>Operação mãos limpas: "Estamos caminhando para uma situação de desordem total", diz promotor.

>

Leiam com atenção a matéria abaixo, publicada no Estadão:
Os desvios que, segundo a Polícia Federal, foram praticados pela quadrilha de servidores públicos que atuavam no Amapá ficam ainda mais gritantes quando comparados ao dinheiro que o Estado reserva para algumas pastas estratégicas.
O orçamento das Polícias Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros é de cerca de R$ 20 milhões. Valor um pouco acima do contrato das empresas Serpol e Amapá Vip, envolvidas na investigação da Operação Mãos Limpas. Para fazer segurança desarmada nas escolas amapaenses, receberam R$ 14,6 milhões da Secretaria de Educação.
“É escandaloso, considerando ainda que o Estado do Amapá vem registrando índices crescentes de roubos e homicídios”, afirma o promotor criminal Eder Geraldo Abreu, que investigou contratos do governo.
Somente no último fim de semana, ocorreram 17 mortes violentas no Amapá. O Estado, antigamente pacato, já registrava 27 assassinatos por 100 mil habitantes em 2007, bem acima dos índices de São Paulo (15,4 por 100 mil). “Estamos caminhando para uma situação de desordem total”, diz Abreu.
Nas ruas da cidade, a situação não parece causar indignação em massa. As caríssimas campanhas eleitorais permanecem a todo vapor, com adesivos na maioria dos carros, santinhos, camisetas e trios elétricos. 
Os 30 mil funcionários públicos correspondem a 10% da população economicamente ativa no Estado e fazem festa e propaganda para que os padrinhos ganhem ou mantenham espaço no governo. 
As campanhas dos candidatos presos já criaram adesivos com a palavra “perseguição”. “Esse carnaval todo nas ruas é feito pelos funcionários comissionados, que aqui no Amapá tem outro significado. Dizemos que eles são “comicionados” porque participam dos comícios daqueles que lhes dão emprego”, diz o engenheiro Audrey Cardoso, presidente do Sindicato dos Urbanitários. 
Na Assembleia, por exemplo, os 24 deputados podem indicar mil cargos comissionados. Na Companhia de Eletricidade do Amapá, Cardoso afirma que são 500 funcionários concursados e cerca de 800 comissionados. Com dívida de mais de R$ 600 milhões, incapaz de investir na troca dos equipamentos sucateados responsáveis por apagões diários, a Companhia de Eletricidade do Amapá está perto de ser leiloada. “Não contratam técnicos, mas apadrinhados”, diz Cardoso.
Comento:
Emblemática a fala do promotor Éder Abreu, segundo quem o estado caminha “para uma situação de desordem total”. É a mais absoluta verdade, e os números comprovam isso: é mais perigoso viver em Macapá que em São Paulo! Para que os leitores – principalmente os de outros estados – tenham idéia, a capital do Amapá conta com pouco mais de 366 mil habitantes. São Paulo, a maior cidade da América Latina, tem mais de onze milhões. Em proporção e perspectiva, viver no Amapá é como morar numa zona de guerra.
Também é verdadeiro que as prisões decorrentes da “Operação mãos limpas” não conseguiram despertar indignação em massa nas pessoas. O grosso da população parece indiferente aos episódios, o que denota a deterioração dos valores morais deste rincão apequenado. É por esse tipo de coisa que insisto em afirmar: não há solução no horizonte do Amapá. Os recursos próprios da democracia são inúteis simplesmente porque não há espírito democrático a ser defendido. A sociedade não dá importância ao sistema de liberdades individuais. A solução para o Amapá passa, invariavelmente, por bomba, bomba e mais bomba.
Anúncios

Uma ideia sobre “>Operação mãos limpas: "Estamos caminhando para uma situação de desordem total", diz promotor.

  1. Nell Pureza

    >Valores morais deteriorados…Não há solução no horizonte do Amapá…Suas palavras tem o peso de uma sentença que equaliza por baixo TODA uma população. Se a sua solução se materializasse, pobres de nós amapaenses que ainda se atrevem a pensar,resistir e residir no Amapá.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s