>Eleições 2010 – Concordo com os petistas: debate na Band mostrou a verdadeira Dilma.

>

É, amigos… Tô pensando seriamente em ir no Procon reclamar do “seu Lula”. Pra quem prometeu na TV uma “mãe para o povo brasileiro”, a Dilma que se viu ontem, no debate da Band, pareceu mais um pitt bull hidrófobo.
Eu não sei se ela vai perder votos depois de apresentar sua versão “hoje eu não tô boa”. Mas acho que dificilmente ganhará algum… E a razão principal é bem simples: Dilma ficou feia demais na TV. Feia, eu disse? Sim, isso mesmo! A agressividade quase truculenta dela conseguiram passar uma imagem ainda mais antipática, o que acabou enfeiando ainda mais a petista. São comentários “parciais”, feitos por alguém que já declarou voto em Serra? Sim, são. Mas refletem também as primeira impressões que tive hoje, nas ruas.
Cena 1: Chegando na padaria pela manhã, ouço claramente uma balconista falando para a faxineira: “Ave Maria! Votei nela no primeiro turno, mas agora tô até com vergonha. Onde já se viu, mulher grossa!” Cena 2: Entro no trabalho e os dois vigilantes estão conversando entre si: “- Viu aquilo ontem? Mulher desequilibrada!” “- Pois é. Partiu pra baixaria.”
É evidente que os dois exemplo que citei acima não têm caráter científico. Da mesma forma, é perfeitamente possível que muitos leitores saibam de gente que elogiou a postura de Dilma, e até passou a declarar voto nela. Meu objetivo foi apenas mostrar que o tal “termômetro das ruas” não parece, à primeira vista, favorável a ela…
Se a atuação de Dilma ontem foi fruto de estratégia, ela parece bastante clara: o PT decidiu parti pro confronto direto a fim de sair da pressão. Depois de semanas acuado pelas denúncias de corrupção e pela questão dos valores morais, os petistas tentam agora dar o tom da campanha; import a agenda de discussão. Isso ficou claro pelos dois pilares do discurso apresentado por Dilma: 1) tentar colar em Serra a pecha de “abortista”; 2) desenterrar a questão das privatizações, já usada contra Alckmin em 2006.
Mas e se Dilma não obedeceu a uma estratégia? E se aquilo que vimos ontem ao vivo foi apenas a reação algo desesperada a um cenário eleitoral que começa a se mostrar desfavorável? Pergunto isso porque nunca vi um candidato líder nas pesquisas fazer o que Dilma fez ontem. Aliás, se vocês lembrarem, foi Duda Mendonça, o guru-mor do marketing petista, quem afirmou, mais de uma vez, que o candidato que bate acaba perdendo. Atribuíram a derrota de Alckmin, em 2006, ao tom agressivo do tucano no debate, lembram? Pois bem, o que teria levado Dilma a chutar o balde e partir pro ataque contra Serra? Tenho cá um palpite: dentro da campanha petista já devem estar sabendo que os números não são muito bons pra terrorista…
Os petistas podem até ter ficado empolgados com a “Dilma corajosa” de ontem. Aliás, é justo que tenham ficado! Mas só energizar a base tradicional do PT não é suficiente pra vencer uma eleição (1989, 1994 e 1998 mostraram isso). E há ainda o risco nada desprezível de afastar o voto moderado e indeciso, que pode não achar de bom tom votar numa candidata que perde tão facilmente e inesperadamente as estribeiras.
Dilma teve vários momentos ruins no debate. Os dois piores, na minha opinião, foram o ataque à mulher de Serra, feito de forma bruta e sem qualquer prova (cadê o vídeo dela acusando Dilma de matar criancinhas?), e aquele encerramento de bloco no qual Dilma prometeu falar do “caso Erenice” na volta do intervalo. Bem, recomeçou o debate e nada. Silêncio toda…
Houve mais é claro. Dilma de novo gaguejou, engasgou e mostrou alguma dificuldade para encadear pensamentos lógicos. Me lembro de uma passagem em que se discutia habitação, e Dilma, depois de trinta segundos tergiversando (ooops!), começou a falar do… SAMU! E concluiu como? Falando sobre… aborto! Patético! Me atrevo a dizer que “nunca antes na história deste país” houve um candidato tão despreparado com chances de chegar à Presidência da República. Nem o Lula de 1989 era tão atabalhoado em suas falas.
Concordo que a postura pitt bull de Dilma pegou Serra de surpresa. Talvez por isso ele tenha perdido a chance de ser mais incisivo. Suponho que tenha analisado a situação friamente e pensado que Dilma já estaria arranhando sua imagem por conta própria. Sem falar que há outrs variáveis, como o risco de parecer agressivo ao atacar uma mulher (e o eleitor médio brasileiro, bastante machista, poderia, sim, achar ruim isso). Ainda mais uma mulher que estava evidentemente desequilibrada… Em outras palavras, eu preferia Serra um tanto mais duro em duas ou três ocasiões, mas não acho que ele tenha se saído mal. Talvez a maior falha tenha sido não defender ostensivamente a esposa, mas penso que a estratégia foi deixar o tema de lado pra dizer que não se presta a “jogo baixo”.
Quando analisei o último Datafolha, disse aqui que sete pontos de vantagem, num segundo turno, não são nada. E não são mesmo! Descontada a margem de erro, Dilma e Serra estariam no limiar do empate técnico! Por que lembro disso agora? Bem, porque o Datafolha – assim como todos os demais – erraram muito no primeiro turno. E se estiverem errando novamente? E se Dilma e Serra já estiverem empatados? Ou ainda: e se os dados pormenorizados, vindos dos trakings das campanhas, estiverem mostrando uma recuperação consistente de Serra em Minas, aliada a uma consolidação da vantagem dele em São Paulo? Convenhamos, o cenário não é mais aquele céu de brigadeiro no qual o PT vinha planando…
Para concluir, uma pincelada rápida sobre os dois eixos principais da argumentação exposta por Dilma ontem. Essa coisa de tentar “dividir” com Serra o ônus de defender o aborto é tão ingênua quanto ridícula! Aliás, isso é outra coisa que me leva a acreditar que a coisa esteja ficando feia no comitê petista… Dilma acusou Serra de aprovar uma lei permitindo o aborto em caso de estupro e de risco de vida para as mulheres. Bem, é mentira! Serra explicou bem isso ontem: a lei (é o vigente Código Penal) é de 1940. Serra nasceu em 1942! O que ele fez foi uma norma técnica disciplinando como se daria o procedimento dentro do SUS, algo perfeitamente lógico, afinal um ministro de Estado deve – vejam que coisa! – cumprir a lei! Daí a dizer que Serra seja favorável ao aborto, vai uma enorme diferença… Querem ver? Cadê o vídeo em que Serra defende tal prática? Já no caso de Dilma, o vídeo existe, né?
A carta das privatizações me parece já gasta… Mas, sei lá… Talvez até cole, afinal o brasileiro adora o Estado, e se sente empolgado quando ouve falar em “patrimônio nacional”. Pessoalmente não acho que a oposição deva ter medo de discutir o assunto. Serra marcou um golaço ontem ao dizer que “o Brasil do PT era o Brasil do orelhão”, já que criticam tanto a privatização da telefonia. Isso é bom! Simples e bastante didático. Eu colocaria isso no programa da TV, mostrando que os petistas querem que joguemos fora nossos celulares, pra poder recriar um sistema que vai empregar a camarilha toda. Pode ter apelo!
O mais delicado para a oposição é impedir que a acusação de que Serra privatizaria o país todo passe como verdadeira. Acho que há uma maneira particularmente eficaz de fazer isso: sempre que Dilma acusar o tucano de pretende privatizar Banco do Brasil, Caixa Econômica, Petrobrás e Pré-sal, Serra pode responder desafiando-a a apontar isso no programa ou em resoluções do PSDB. Ela não poderá, porque os tucanos são esquerdistas demais pra privatizar tanta coisa assim. Já Serra, sempre poderá apontar as resoluções do PT a favor da legalização do aborto…
Enfim, devo dizer que estou bastante satisfeito. Eu já imaginava que a campanha poderia ser dura para o PT no segundo turno, mas a Dilma de ontem me mostra que a água começa a bater na cintura deles. É só a oposição se organizar e dar uma “ajudinha”, que a petralha se afoga fácil, fácil…
Anúncios

6 ideias sobre “>Eleições 2010 – Concordo com os petistas: debate na Band mostrou a verdadeira Dilma.

  1. Anonymous

    >Yashá Gallazzi, Serra portou-se muito bem. Deve ter percebido o descontrole da adversária e deixou passar. Foi fortemente provocado, ofendido, mas manteve a calma. Não levantou o tom da voz e nem revidou de maneira violenta. Tudo o que ela tentou fazer colar em Serra, reverteu para ela. Tudo gruda nela. Ela tentou fazer colar o caso de abortos legais, realizados no SUS. Confundiu-se toda. Tentou falar de privatizações. Misturou alhos com bugalhos: disse que a Nossa Caixa foi privatizada. Na realidade, foi vendida ao estatal federal BB. Tropeçou na bola que queria enfiar no gol. Um desastre completo. Serra a tudo observou impassível. E respondeu no tom adequado.

    Resposta
  2. andre

    >Anonimo, nao esqueça do "velho ditado: quem cala, consente". Cantei a pedra com antecedencia, mas não deram importancia: Dilma ia fazer o óbvio: pendurar no pescoço de serra o presidente mais "impopular" da história do Brasil.Dito e feito, aguardemos as próximas pesquisas.

    Resposta
  3. Anonymous

    >Tem razão, Andre. Quem cala consente. O "mais impopular", os termos, foram uma tentativa irracional do PT de popularizar o governo de 1995/2002, como o mal encarnado na Terra. Ou seja, o PT blefou com certa complacência vigente e pensa ter ganho a parada. Se pensarmos, os mandaremos, democraticamente, às favas. Depois de quase oito anos de governo, aceitaram a imposição de uma candidata ruim e tentam empurrá-la pela garganta alheia: seria a socialização de engolir sapos? Depois de alardear tanto sucesso, o único mote que acreditam ter para obter seu intento, é atacar um governante de oito anos antes. E impuseram o perdão a quem governou nos períodos 1985/1989 e 1990/1992. Dai, deram um salto, cravando tudo a partir de 2003. Como tal empulhação foi derrotada no primeiro turno, a maioria não calou e não consentiu absolutamente nada. Aliás, se o País estivesse quebrado nos níveis em que propalam, não seriam eles, em menos de oito anos, capacitados a recuperá-lo. Isso é cristalino. Basta atentar para as argumentações do melhor que lhes foi imposto como candidatura presidencial. Ora, será que querem eleger a candidatura imposta? Ou querem tornar mais de 190 milhões verdadeiros palhaços?

    Resposta
  4. andre

    >Assim o "candidato das mil faces" se pronunciou, quando indagado por Dilma sobre o sr. Paulo Preto (seu ex-diretor na Dersa): "Eu não sei quem é o Paulo Preto. Nunca ouvi falar. Ele foi um factóide criado para que vocês (imprensa) fiquem perguntando". Serra disse ainda que não iria gastar horas de um debate nacional discutindo "bobagens". Mas hoje…Ah! hoje, depois de visitar o santuário de Aparecida (talvez tocado pela mão de Deus), afirmou:"Serra defende ex-diretor da Dersa e nega desvio de R$ 4 milhões Tucano classifica acusação como "injusta" e afirma que não houve desvio em sua campanha". Dilma continua com "duas" caras, que bom que só são Duas e não "mil" né? Eu no lugar do Paulo Preto já tinha vazado (o arquivo vivo hein)

    Resposta
  5. Anonymous

    >Segundo falava um comediante, num famoso quadro: "herói é aquele que não pode correr". Assim, não precisa "vazar", não, Andre. Não há nada que o ameace. Há sempre alguém imitando carrancas e ranger de dentes na TV, falando em "extirpar", "acabar". Mas, isso é coisa para inseguros, não é? Como é que se diz? São bazófias? Afinal, o cidadão não é espelho, concorda? Quem tem medo de carrancas é espelho.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s