>Rápidas notas sobre a tragédia.

>

1) Curioso que quando a chuva cai em São Paulo, a culpa é da trinca Serra, Alckmin e Kassab (este último apenas por mais alguns meses, pois quando estiver no PMDB a coisa será diferente…), mas quando desaba o mundo no Rio de Janeiro, o culpado seja sempre São Pedro…
2) Aliás, curioso também como o PIG (aka = Partido da Imprensa Governista), tão serelepe quando se trata de “cobrar responsabilidade e ação” dos governos PSDB e DEM – o que é muito correto, diga-se -, não demora nadica de nada a ficar num luto silencioso quando a desgraça acontece em lugares governados pela base aliada.
3) Dica esperta pra Dilma e pro governo do PT: mandem pro Rio de Janeiro a ajuda que negaram a Santa Catarina, em 2009. 
4) Aliás, cadê aqueles “humanistas” do progressismo? Onde estão aqueles valentes defensores dos direitozumanos, que não falam uma vírgula sobre a catástrofe do Rio, responsável pela morte de mais de 500 pessoas? Ah, já sei! São mortos sem pedigree, né? Eles só se ocupam das “vítimas” ideologicamente engajadas…
5) Por falar em progressistas, ainda não apareceu nenhum “humanista da cureta” usando a tragédia fluminense como justificativa para a liberação do aborto? Até imagino como seria o raciocínio dessa turma: “Se nascer menas gente, vai morrer menas gente nos deslizamentos de terra”.
6) Outra coisa que falta no meu checklist: os fiéis da Igreja do Aquecimento Global dos Últimos Dias ainda não “subiram nos escombros” para apontar seus “little green fingers” na cara do capitalismo, da sociedade de consumo, dos conservadores e da elitebrancadeolhosazuis. Ceis já foram mais rápidos em matéria de explorar tragédias, ecochatos!
7) Nem se iludam. Rapidinho surgirá algum progressista sugerindo uma solução públicagratuitaedequalidade pra tragédia do Rio. Talvez a estatização da lama, de modo que ela não possa deslizar sem que haja uma lei regulamentando o processo.
—–
P.S.: E, não! Eu não estou fazendo chacota com uma tragédia. Quem fez isso foi Sérgio Cabral, que, um ano depois da catástrofe ocorrida em Niterói, esqueceu que as chuvas costumam trazer o caos para as grandes cidades brasileira neste período do ano, e foi dar um rolé pela Europa.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s