Férias na Itália (#6): Orta San Giulio.

O fato de ter família e amigos na Itália, me permite receber dicas ótimas sobre lugares lindos de se visitar. Não raro, vamos a cidadezinhas espetaculares que ficam fora dos tradicionais roteiros de viagens turísticas. Confesso que adoro isso, principalmente porque proporciona mais tranquilidade ao nos manter longe dos centros mais badalados.

Orta San Giulio é um desses locais que descobri assim, por acaso. Numa bela manhã de sábado, em 2008, conversando com uns tios meus, falei que pretendia ir até o Lago Maggiore, pra curtir o final de semana. Era o primeiro dia bonito depois de uma semana de chuvas esparsas e algum frio, lembro bem. Aí um dos tios sugeriu que mudássemos o roteiro, indo ao Lago d’Orta, em San Giulio. Falou que o lugar era lindo, tranquilo e, o principal, menos badalado.

Um pouco de contexto pra vocês: a região do Lago Maggiore – que é linda, aliás! – é meio que “a praia” dos habitantes de Milão. Basta uma frestinha de sol + final de semana, e pronto: a galera toda se abala da cidade grande pra curtir um relax lá. Por isso é uma área tão badalada e cheia de gente.

Whatever… Como eu e a esposa linda já conhecíamos o Lago Maggiore, decidi ouvir os nativos e rumamos para Orta San Giulio. E encontramos lá um lugar simplesmente lindo!

Parece uma pintura.

Orta fica muito perto de Milão (82Km – gasta-se uma hora e meia, de carro), que é o destino de chegada de quase todos os turistas brasileiros. Tendo isso em mente, é quase um crime passar por aquela região sem visitar o lugar. Este ano, com mais tempo, voltamos mais uma vez. E foi muito bacana!

A pedida lá é caminhar tranquilamente pelas margens do lago, curtindo a paisagem e os jardins floridos. Há um caminho pensado especialmente para permitir um passeio tranquilo a dois (ou em família), com bancos para descansar de tempos em tempos, e uma vista linda para ser fotografada:

Não vão pisar na grama e me envergonhar, pelamor de Deus!

muitas opções de hotéis e restaurantes no lugar, todos muito aconchegantes e bonitos. Como já falei antes (e explicarei melhor em breve), os preços são todos bastante acessíveis. Apenas Android users não conseguem pagar por um almoço decente em Orta, mas para eles resta sempre a opção de levar pão com manteiga e Q-suco aqui do Brasil… Symbian users, tais como o nobre @pneto, de acordo com as leis da União Européia, são detidos na imigração e deportados imediatamente de volta para o Brasil, assim que identificados.

Feito o alerta, xeu mostrar pra vocês uma foto do lugarzim maneiro onde almoçamos:

Comida deliciosa, às margens do lago.

No restaurante da foto (que para o azar de vocês eu não lembro o nome…) pedimos uma degustação de queijos que estava sensacional! Isso sem falar nos pratos… Comi ravioli com camarões e, olha… Tô babando aqui, neste exato momento, só de lembrar.

Pra quem curte esporte e aventura, Orta também é uma boa pedida. É um destino tradicional do ciclismo, e tem uma “subidinha” de quebrar as pernas até o Sacro Monte do lugar. Também é comum ver gente aproveitando as águas calmas do lago para praticar canoagem, ou aventurando-se em trilhas na serra que cerca a cidade.

O Sacro Monte, que mencionei acima, também é bacana pros que gostam de fazer um turismo histórico. A igrejinha que fica lá é linda! Não é sem motivo que o lugar é disputadíssimo por casais de noivos, ávidos por celebrar sua união num cenário paradisíaco (se vocês googlearem “sacro monte orta”, verão imagens de vários casamentos muito bacanas! Em 2008, eu a esposa presenciamos um que estava acontecendo no dia em que decidimos visitar o lugar.).

Há um trenzinho turístico que sai do centro de Orta e passeia por todos os arredores, subindo até a tal igrejinha. Pros que forem com mais tempo e não quiserem dirigir, é uma ótima pedida. Contudo, quem quiser passear por lá no seu próprio carro pode fazê-lo tranquilamente. O lugar é perfeitamente sinalizado e é impossível se pederder, afinal a cidade é muito pequena.

Confesso que não sei se existe uma época ideal para ir a Orta… Fui na primavera e no verão, e o lugar sempre esteve lindo. Posso apostar que no outono e no inverno é a mesma coisa: frio, mas igualmente espetacular – imaginem os canteiros e as árvores cobertas de neve!

É lindimais mesmo!

Para chegar até Orta (a partir de Milão) pode-se seguir pelas autoestradas (A4 e A8), fazendo o caminho mais rápido. Mas o legal mesmo é passar pelas cidades que costeiam o Lago Maggiore, como Arona e Stresa, seguindo por estradas secundárias até Orta. A segunda opção talvez custe mais uns trinta-quarenta minutos de estrada, mas é infinitamente mais bonita.

_____

Dica esperta: Uma vez em Orta San Giulio, é possível tomar um barco que leva até aquela ilhazinha que fica no meio do lago (olhem lá na primeira foto!). É outro lugar que vale a pena conhecer.

_____

P.S.: Mais fotos de Orta San Giulio, aqui.

_____

Bônus game: uma foto da turma toda, em Orta:

Quando perguntarem sobre filho bonito, ceis já sabem quem faz...

Anúncios

Uma ideia sobre “Férias na Itália (#6): Orta San Giulio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s