Person of interest e Homeland: duas novas séries que você PRECISA ver.

Sou um desses ocidentais completamente viciados nos seriados da televisão estadunidense, que o grande satã ianque usa para manter os moradores dos países subdesenvolvidos em permanente estado de subordinação e vassalagem. Ou, usando outras palavras, reconheço que a qualidade dos programas da TV americana são putaquepariusticamente melhores que os vários enlatados brasileiros, dentre os quais se notabiliza o infindável Zorra Total (e esse é o país que pretende sediar uma Copa!).

Anyway, estava eu outro dia escolhendo algo novo para ver, quando me deparei com duas estréias desta nova temporada de seriados: Person of interest e Homeland. São sem dúvida as duas melhores novidades do entretenimento televisivo americano, construídas a partir de roteiros eletrizantes que arrebatam o espectador desde o primeiro minuto.

Person of interest trata da relação construída entre um ex-soldado de guerra dos EUA, descrente da vida oficial e abandonado à própria sorte (e à indigência!), e um misterioso milionário-nerd. Um detalhe nada desprezível: o tal milionário é interpretado pelo mesmo maluco que fazia o Benjamin Linus, em Lost.  E mais: o cara parece tão fodasticamente misterioso e sombrio na nova série, que a semelhança com Linus se torna ainda mais impressionante (evidente que isso se deve ao gosto do J.J. Abrams, que produziu Lost e agora produz essa nova série)!

Breve sinopse não-estragativa-de-surpresas: Depois do 11/9, o governo americano mandou fazer uma máquina fodona, capaz de espionar os cidadãos (por meio de câmeras, microfones, xeretando emails, etc…), a fim de descobrir possíveis planos de ataques em grande escala. O tal computador, porém, acaba descobrindo tudo, não só as maquinações terroristas, só que isso se torna um problema, afinal o objetivo não é deter simples crimes contra pessoas isoladas.

Então o nerd ricaço (o que era o Linus), responsável pela geringonça, fica com peso na consciência de saber que pessoas inocentes se tornam vítimas de crime, sem poder fazer nada para evitar isso, e resolve agir por conta própria. Mas ele é só um maluco fera em IT – que além de tudo manca de uma perna! -, e não tem a menor chance de encarar bandidos barra pesada. Aí surge o protagonista – o tal ex-soldado -, que ele recruta para ser uma espécie de super-herói anônimo, salvando pessoas de serem mortas.

É bem legalzinha, e vale os 40 minutos que a gente gasta na frente da TV/PC. Confiram aí o trailer:

Homeland é a melhor novidade no mundo das séries, desde Fringe! Sério, comecei a ver ontem, seguindo dica do Gravz, e já engatei seis episódios seguidos!

Na série, acompanhamos o resgate inesperado de um soldado americano erroneamente dado como morto no Iraque. Depois de oito anos em cativeiro, ele é encontrado pelas Forças Especiais e repatriado como herói. O bacana é que além de trabalhar muito bem as tramas psicológicas dos personagens (como os traumas e conflitos que o soldado vive depois de voltar para a América), a série envolve o espectador engendrando aquelas clássicas teorias da conspiração que nós deveríamos estar de saco cheio de ver, mas que adoramos cada vez mais.

Interessante, por exemplo, acompanhar a desconfiança que uma das protagonistas do seriado nutre em relação ao soldado-herói: para ela, é impossível alguém ficar prisioneiro durante tanto tempo e não revelar nada pro inimigo. Logo, ela acredita firmemente que o cara entregou a rapadura pros cabeça-de-toalha e tenta provar isso, mas atua contra o desejo do governo americano.

Homeland é rica em viradas de cena muito boas! O roteiro é bem trabalhado e não parece haver pontos soltos na trama. Recomendo fortemente! Abaixo, o trailer:

_____

P.S.: Este não é um post pago. Mas bem que poderia ser…

Anúncios

5 ideias sobre “Person of interest e Homeland: duas novas séries que você PRECISA ver.

  1. Adriano

    O Caio Blinder chamou Homeland de “’24 Horas’ da esquerda” e eu fiquei com o pé atrás. Se você está recomendando, verei. 😉

    Resposta
    1. yashagallazzi Autor do post

      Cara, não fiz essa leitura de filme esquerdista (pelo menos não até agora…). Ele evidentemente não tem a mesma pegada de 24 horas, mas, à sua maneira, consegue ser igualmente muito arrebatador.

      Resposta
  2. cintiana2

    Tenho assistido as duas séries. Person of interest é legal, mas ainda acho que não mostrou o por que veio. E concordo com você, Homeland é viciante, e como vc disse acho que é a melhor novidade em questão desde Fringe. E olha que eu adoro Fringe. Os últimos episódios de homeland me tornaram apaixonada pela série. E eu ainda acho que ela tem tido pouca atenção no Brasil, ainda nem foi definido em que canal ou se passará no Brasil. Tenho visto poucas reviews, alguns blogs começaram e pararam de fazer análises dos episódios da série, se for comparar com outras a legenda é pouco baixada, há pouquíssima discussão sobre ela e e etc. Mas ao meu ver quem não está assistindo a série não sabe o que está perdendo. Deem uma chance a Homeland!

    Resposta
  3. George

    Comecei a ver Homeland depois de ler essa sua dica e também achei sensacional. Muito bom, mesmo!

    Resposta
  4. Pingback: Breaking Bad e Banshee | Construindo pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s