Pagode filosófico.

Uma das coisas mais divertidas da internet é a possibilidade de encontrar coisas fenomenais como o blog Pagode Filosófico. Amigos, acho que poucas vezes ri tanto na minha vida!

Os caras pegam as letras de alguns dos pagodes mais famosos dos inglórios anos 90, e as “estudam” à luz da filosofia. É sensacional! Separei dois pequenos trechos como aperitivo pra vocês:

O Existencialismo de Sartre em Essa tal liberdade, do Só pra contrariar.

O que é que eu vou fazer com essa tal liberdade?
Se estou na solidão pensando em você
Eu nunca imaginei sentir tanta saudade
Meu coração não sabe como te esquecer
A influência do existencialismo sartreano é claramente expressa logo no primeiro verso. Sartre nos dizia que o homem é condenado a ser livre. Pressupondo que a existência precede a essência, ele defende que o ser humano não é definido de uma vez, mas sim precisa definir aquilo que é através de suas escolhas. Mesmo que ele não escolha, já é uma escolha. E a música nos mostra sem demora a angústia diante da liberdade. Vemos sobre a solidão do eu lírico solitário. Uma vez que cada indivíduo deve realizar suas próprias escolhas, fica claro que está terrivelmente solitário nessa condição. Não há quem possa escolher por ele.

E mais:

Xibom Bombom, por Karl Marx.

As Meninas, grupo que abalou as estruturas do Planeta Xuxa nos anos 90, foi o maior exemplo da classe de artistas intelectualmente desenvolvidos e com músicas que contestavam o establishment.

Muitos podem falar que o Chico Buarque é o maior representante dessa classe. Muitos que não tem noção de história, obviamente. Chico Buarque não atingiu as massas do jeito que As Meninas atingiu. Chico Buarque nunca tocou no Domingo Legal, nunca foi no Planeta Xuxa, nunca nem sequer tocou em um trio elétrico. Bom xi bom bombom jogou o comunismo para o povão.

(…)

Onde o rico cada vez
Fica mais rico
E o pobre cada vez
Fica mais pobre

E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce…

Nesse trecho As Meninas citam claramente a teoria da Mais-valia de Karl Marx, em que o sistema capitalista trabalha apenas para obter lucros. E esses lucros ficam sempre nas mãos de poucos, os proprietários das fábricas, das empresas. O empregado fica sempre renegado a uma mínima parcela dos lucros em cima dos produtos que ele mesmo produz. Sendo assim, o rico sempre fica cada vez mais rico e o pobre cada vez mais podre. Isso só aumenta a luta de classes, fazendo com que o de cima sempre suba enquanto o de baixo sempre desça, gerando conflitos sociais. Xibom Bombom é uma chamada para refletir sobre essa posição.

Sério, tô gargalhando no chão! HUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHAUHAUAHUAHUA!

Anúncios

2 ideias sobre “Pagode filosófico.

    1. yashagallazzi Autor do post

      Opa, primeiro deixa eu agradecer a HONRA de ter a sua nobilíssima presença aqui no meu blog. Fico mesmo muito contente! E, sim. De fato aquele blog nos desperta o sentimento de “inveja boa”, hehehe.

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s