Terrorismo na Bahia: que os inimigos sejam impiedosamente caçados!

Leio com assombro que em apenas 30 horas, 29 mortes aconteceram em Salvador e região metropolitana. O caos na Bahia é fato concreto e precisa ser enfrentado com força e determinação pela Estado (aqui compreendido em seu sentido mais amplo). Em primeiro lugar, é preciso que se entenda de uma vez por todas que agentes do aparelho de segurança do Estado voltando-se contra a sociedade cometem terrorismo! Sim, é isso mesmo! Quando servidores públicos que recebem armas para proteger a população decidem suspender suas atividades, os únicos beneficiados são os criminosos. E o único prejudicado é o povo – justamente aquele que paga o salário dos grevistas.

Se esses policiais, porém, não satisfeitos em facilitar a vida dos bandidos, decidem se unir a eles, agindo contra a sociedade, a coisa se reveste de uma gravidade ainda maior. A meu aviso, trata-se de puro e simples ato de terrorismo. De que outra forma classificar a ação de policiais que, armados e encapuzados, abordam ônibus e obrigam passageiros e motoristas a descer?

O que se tem em Salvador é a ação criminosa dos agentes que deveriam, por dever de ofício, garantir a segurança da sociedade. E, com um agravante nada pequeno: esses bandidos de farda estão se valendo dos instrumentos que lhes foram fornecidos pelo povo, por meio de impostos. Em outras palavras, temos a população civil indefesa feita refém por gente que decidiu subjugar o Estado de Direito e a ordem democrática. Pois bem, entendo que esses indivíduos devem ser caçados e combatidos de forma implacável! Decidiram recorrer ao terrorismo para agredir a população? Pois que sejam tratados como terroristas, inclusive recorrendo-se às Forças Armadas.

Dito isso, eu não poderia deixar de perguntar onde estão os ~humanistas~ do PT (em particular) e da esquerda brasileira (em geral)?! Não ouço, agora, os gritos roucos de indignação dos que “denunciaram o massacre do Pinheirinho” – aquele com ZERO mortos! Onde estão os “movimentos sociais” e a “sociedade civil”, que não acusam o governo da Bahia de fascismo? Por que ninguém ameaça denunciar os policiais baianos à ONU? Enfim, onde foram parar os valentes da indignação seletiva?

Onde estão os deputados do PSOL, o senador Eduardo Suplicy, o Secreário de Direitos Humanos, os artistas e os intelectuais? Onde estão Idelber Avelar, Maria Frô, Luis Nassif e Paulo Henrique Amorim? Enfim, onde se escondeu essa gente toda, que tanta indignação externou por conta de um ~massacre~ com – repito! – ZERO mortos, mas que agora, diante da selvageria promovida na Bahia do governo amigo de Jacques Wagner, se calam de forma VERGONHOSA?! Mas o que se poderia esperar de gente que “denuncia os horrores da ditadura brasileira”, ao mesmo tempo em que morre de amores pelo regime dos irmãos Castro, responsável por mais de CEM MIL mortes?! Não! Definitivamente não seria possível esperar nada de bom…

Espero sinceramente que o governador da Bahia seja firme e implacável com os terroristas disfarçados de policiais, que decidiram investir contra a sociedade que lhes paga. Que peça ajuda federal (ele é companheiro da Dilma, não deve ser difícil…), inclusive do Exército. Torço por isso, mas confesso que não tenho lá tanta esperança… O caos destes dias, em Salvador, não é resultado de um fato isolado, mas da soma de vários fatores. E a gestão vergonhosa de Jacques Wagner é um dos mais importantes, afinal foi na gestão dele que a criminalidade na Bahia voltou a atingir índices alarmantes.

Enquanto isso, a população de Salvador fica no meio do fogo cruzado entre os bandidos profissionais e os terroristas que desistiram de proteger e servir. E parecem não poder contar com o socorro do Estado. É o problema de ser uma vítima sem pedigree, que não está sob o jugo de PSDB e DEM… Quem não pode servir à “causa” dos companheiros, é tratado apenas como carne barata. Se morrer, morreu.

Anúncios

4 ideias sobre “Terrorismo na Bahia: que os inimigos sejam impiedosamente caçados!

  1. mike osoviskh

    Caro Yasha´.

    Concordo plenamente, agentes armados do Estado não podem fazer greve. Pelo bem dos Baianos o governador teria de tomar pulso da situação. Agora já são mais de 55 mortes. Infelizmente esse é o preço que estão pagando os eleitores por acreditarem em mentiras. Ironicamente o partido que mais se beneficiou das greves e que apoiou inclusive greves de policiais em 2001 enfrenta agora o que tanto fez aos outros. Que policiais e governo tenham juízo e acabem de uma vez por todas com essa insanidade.

    Resposta
  2. Janaina

    Demissão e prisão para eles: o mínimo que pode ser feito!
    Quanto aos militantes de esquerda, acho que estão perdendo uma grande oportunidade para mostrarem que não correm atrás (e muitas vezes torcem) de problemas em governos do PSDB.
    Por outro lado, acho que o governador petista está conduzindo a situação muito bem – diferentemente do que fez o governador do Ceará, que não teve pulso e deu tudo que os pms grevistas pediram!

    Resposta
  3. Hay

    O governo tem muita, mas muita culpa, afinal, o PT sempre insuflou movimentos grevistas, especialmente em regiões administradas pela oposição. Isso criou uma “cultura da greve”. O PT (e Michel Temer) fez uma promessa (a PEC 300) que dificilmente cumpriria. A promessa, como se esperava, não foi cumprida. O resultado não poderia ser diferente: greves, que o mesmo PT sempre gostou de alimentar.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s