E o TSE agora quer policiar o Twitter.

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu, por 4 votos a 3, que candidatos não podem mandar mensagens eleitorais via Twitter antes de 5 de julho, quando começa o prazo para a propaganda eleitoral. A justiça brasileira confirma, assim, que está em descompasso com o mundo moderno. Numa era em que a informação se propaga na velocidade de um clique, o Poder Judiciário decide se refugiar nas trevas.

A coisa toda não é mais ridícula porque trágica. De fato, minha primeira reação à notícia é rir da pretensão de suas excelências, achando que o Estado e seu aparato burocrático, ineficientes por tradição, pode conseguir colocar cabrestos na internet. Ouso dizer que os ministros do TSE não sabem sequer os sites que seus filhos acessam no computador de casa, ou as fotos que as filhas postam no ~feice~. Mas tão lá, envoltos em suas capas pretas, pensando que podem controlar o conteúdo do que é postado numa das maiores redes sociais do mundo.

Mas, depois da saudável risada que nos escapa diante de mais essa decisão ridícula da justiça brasileira, um sentimento de preocupação aparece… É inevitável olhar com temor para mais essa arremetida que o braço jurisdicional do Estado dá contra as liberdades individuais. Isso ganha contornos ainda mais dramáticos quando se percebe que é a justiça eleitoral, órgão responsável – em teoria – por garantir a essência da democracia, quem escolhe tolher prerrogativas dos indivíduos.

Pessoalmente, não acredito no processo eleitoral brasileiro. Criou-se um verdadeiro tribunal de exceção que, em nome de conceitos abstratos como “equilíbrio do pleito”, se acha no direito de cercear liberdades concretas. Me esforço para não ver traços de fascismo nisso, mas não consigo… Todo totalitarismo, aliás, começou prometendo garantir “ordem”, “paz social” e outros conceitos do tipo, todos sempre abstratos. Desnecessário lembrar os horrores que foram cometidos em nome desses objetivos…

A justiça eleitoral decidiu inverter a lógica: entende que os candidatos – tadinhos… – devem ser protegidos dos eleitores. Assim, qualquer crítica mais contundente pode ser considerada “propaganda negativa”; qualquer questionamento mais incisivo pode ensejar “direito de resposta”. Em vez de proteger os indivíduos, pilares do sistema democrático, garantindo-lhes as liberdades básicas, os órgãos eleitorais preferem cercear as liberdades dos eleitores em nome de garantir essa coisa genérica que eles chamam de “equilíbrio do pleito”.

Exagero? Não creio… Com a decisão do TSE sobre o Twitter, o Brasil se juntou a China, Irã, Coréia do Norte e Cuba, no grupo dos países que decidiram policiar a internet. Parabéns à gloriosa e moderna justiça eleitoral brasileira, que se acha no direito de dar aula de democracia para o resto do mundo. Alguém precisa ensinar a suas excelências que eleição rápida não significa eleição limpa, livre e democrática. No Brasil sabemos o presidente eleito depois de duas horas? Bom, no Iraque de Saddan era tão o mais rápido quanto…

Anúncios

3 ideias sobre “E o TSE agora quer policiar o Twitter.

  1. Thiago - RJ

    Na prática, isso só vai beneficiar o PT, porque é o único partido que tem uma Al-Qaeda eletrônica recrutada e treinada, anônimos sem qualquer ligação formal com candidaturas.

    Minha única dúvida é isso tudo é uma teoria que acaba acarretando nessa prática ou se é uma prática pré-concebida que foi buscar socorro na teoria a posteriori…

    Resposta
  2. wilson de oliveira

    isto è apenas ressultado de um pais que entrou em uma demogracia sem nenhum tipo de preparoe nuca se preoculpou em preparar seus jovens para ela e nunca vai prepara los. eu gostaria de saber se vivemos em um pais que se diz demogratico porque o voto È obigatorio e qual o preparo o brasil deve para entrar em uma demogracia onde so os que lutaram por ela se beneficiaram tornando se covernades e ganhando auto salarios e pagando misseria ao povo.sei o que a naçao perdeu com a demogracia mas o que ganhou foi pouco ou quase nada perdemos o direito de andar nas ruas com segurança o respeito em estabelecimentos publicos o direito de edugae nossos filhos estamos perdendo a estituiçâo familia,desculpem me se nao vejo o meu amado pais com o mesmo olhos dos abiciosos puliticos e nem com os do povo iluditos por eles

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s