E essa eleição em São Paulo, heim?

Depois de três pesquisas do Ibope em São Paulo, acho que já dá pra fazer algumas análises dar alguns chutes de boa, né? Vamos ver, primeiro, os números do levantamento:

—–

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (16) mostra o candidato do PSDB, José Serra, e o candidato do PRB, Celso Russomanno, empatados na liderança da corrida pela Prefeitura de São Paulo. Os dois candidatos têm 26% das intenções de voto. O instituto ainda simulou uma disputa entre Serra e Russomanno no segundo turno. O candidato do PRB venceria o tucano (42% a 35%).

O candidato do PT, Fernando Haddad, saltou de 6% na última pesquisa (3 de agosto) para 9%. Um crescimento de três pontos percentuais, dentro da margem de erro.

Soninha Francine (PPS), Gabriel Chalita (PMDB) e Paulinho da Força (PDT) registraram 5% das intenções de voto na nova pesquisa.

(…) Brancos e nulos somam 12%. Segundo o Ibope, 10% dos eleitores ainda estão indecisos.

(…) O Ibope também perguntou aos entrevistados em qual candidato não votariam de jeito nenhum. Segundo o Ibope, Serra foi o mais citado, com índice de rejeição de 37%.

Levy Fidelix aparece na sequência, com 16%. Fernando Haddad, Paulinho da Força, Soninha Francine e Eymael têm 14% de rejeição.

Em seguida são citados Russommano (11%), Gabriel Chalita e Miguel (9%), Ana Luiza, Carlos Gianazzi e Anaí Caproni (7%).

—–

Vish! Tucanos e petistas – como sempre! – preocupados em brigar entre si pela vitória, esqueceram de combinar a pretendida polarização com os russos. Ou melhor: com o Russo…

Sim, falta ainda muito tempo e a propaganda na TV ainda nem começou. Ok, ninguém está sugerindo que a parada está decidida, mas não tenho a menor dúvida de que muito analista político e muito coordenador de campanha anda perdendo o sono.

Mas de onde vieram tantos eleitores em potencial de Russomano? A resposta é tão simples, quanto polêmica: da periferia. Não, turminha! Não tô destilando preconceito nem querendo dizer que “pobre não sabe votar”. Longe disso… Quero só expor fatos: o voto da perifa, que ameaçava cair no colo do camarada Netinho de Paula, viu-se órfão do dia pra noite, depois que o consórcio governista (e aqui me refiro ao governo federal) implodiu as aspirações do PCdoB. Era questão de tempo até eles migrarem pra Russomano – que já conta com os votos fiéis do malufismo.

Some-se a isso a desastrada união do PT com Maluf em torno de Haddad e o esgotamento cada vez maior da fórmula PSDB Vs. PT, e pronto: estão postos os ingredientes necessários pra transformar o Russomano em candidato eleitoralmente viável. Afinal, ver Maluf e Lula abraçados tem como único efeito imediato e certo afastar de Haddad os chamados “petistas históricos”.

Pode-se dar por certo que haverá segundo turno em São Paulo, a questão é descobrir quais serão os dois oponentes…

Acho – mesmo! – que qualquer um entre Serra, Russomano e Haddad tem chances boas de passar pelo escrutínio do dia 7 de outubro. O candidato do PRB, se não cometer nenhum desastre monstruoso ou for péssimo durante a propaganda de TV, tem as melhores chances (de ir ao segundo turno). O crescimento de Russomano é sólido e constante, para desespero dos adversários – e do bom senso…

Serra, a meu ver, é o que está em situação mais delicada neste momento: tem a pior rejeição, parece nitidamente ter chegado ao seu teto pré-horário eleitoral na TV e carrega o ônus de ter o apoio de Kassab, um prefeito que vai finalizando seu mandato com baixíssima aceitação.

Já Haddad é o poste da vez: a exemplo de Dilma, em 2010, ele é a invenção de Lula pra mostrar (de novo!) que consegue fazer o povo votar em qualquer um. É preocupante pro PT a demora de Haddad em subir nas pesquisas, mas acho que a situação dele tá longe de ser desesperadora. Vai chegar ao horário eleitoral (provavelmente…) na casa dos dois dígitos, tem o melhor marketing disparado (aquele “pense novo” é uma ótima sacada) e tem o trunfo de ser “o novo”. Sem falar no apelo diante das câmeras: o impacto visual do Haddad é muito melhor que o do Serra.

Vai ser, sem dúvida, a eleição mais interessante dentre todas. Bom pra quem, como eu, vive num lugar onde as opções são tão tristes, que ver pela TV e pelos jornais o que se passa em São Paulo é uma opção bem melhor.

Anúncios

3 ideias sobre “E essa eleição em São Paulo, heim?

  1. Janaina

    Seria a aposentadoria de Serra caso ele não saia vitorioso? Faltou ao PT humildade ao lançar um candidato que é mais conhecido pelos desastres no ENEM? Marta estaria rindo muito com essa pesquisa? ela seria melhor candidata? algumas indagações que me surgiram. Bom texto!

    Resposta
    1. yashagallazzi Autor do post

      Não tem cravar certezas defintivas em política, mas acho que se perde a Prefeitura é final de carreira pro Serra. Pelo menos no Executivo.

      O PT exagerou no poste que escolheu, mas acho que Haddad tá longe de ser derrotado. Tem o melhor marketing, a militância mais profissionalizada e a melhor máquina eleitoral com ele. Isso, somado ao trabalho na TV, deve ser suficiente pra dar a ele no mínimo aqueles 30% que o PT sempre costuma ter em SP. Marta eu duvido muito que pudesse vencer… Talvez estivesse mais à frente nas pesquisas, mas acho que perderia num segundo turno.

      Resposta
  2. Alemão

    Ótima análise, mas se eu fosse o PT teria investido no Mercadante… acho q daria ao menos mais trabalho ao Russo e ao Serra…
    abraços

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s