A falência moral do Brasil

Quando chegar o dia de tirar o PT do poder, começaremos a ter noção do quão profunda foi a corrosão das instituições democráticas brasileiras. O processo que corrupção dos valores morais próprios da civilização que vem sendo conduzido neste país é por demais forte para ser resolvido apenas com uma eleição, infelizmente.

Eu não falo aqui de escândalos e roubalheiras próprias – infelizmente – da política em geral. Essas coisas existem em qualquer lugar do mundo, ainda que alhures não se promova um assalto organizado ao Estado com o mesmo grau de cinismo que se faz aqui. Mas meu ponto neste texto é outro: essa década de governo do PT está sendo responsável por levar a uma completa inversão do norte moral em nossa sociedade.

No Brasil do PT, aceita-se como normal colocar preferências político-ideológicas acima de institutos democráticos apenas para proteger um terrorista. Foi o que se fez no caso de Cesare Battisti, quando o governo Lula, em primeira pessoa, atuou com afinco para não devolver à justiça italiana um criminoso condenado por quatro assassinatos (falei com detalhes sobre o caso aqui). Na ocasião, pouco importavam as leis de direito internacional, os princípios democráticos ou mesmo a decência própria de uma sociedade civilizada: o importante, para o PT, era apadrinhar um “companheiro”, não importando o rastro de sangue que ele trazia consigo.

Durante a década petista, também presenciamos o deplorável episódio dos boxeadores cubanos, deportados pela PF e entregues à mais duradoura e sanguinária ditadura da história das Américas. Os dois atletas desertaram a delegação cubana durante o Panamericano de 2007, no intuito de escapar do regime castrista. O Brasil do PT, porém, achou por bem prender os pugilistas e entregá-los a seus algozes. De nada importou saber que eram pessoas inocentes querendo fugir de uma tirania perversa em busca de uma vida melhor, pois o que interessava ao governo petista – a única coisa que sempre interessa a ele – era agradar os “companheiros” de ideologia. Mesmo às custas de acabar com a vida de inocentes.

Agora, com a iminente chegada dos tais médicos cubanos ao Brasil, arrebanhados com gado pelo governo do PT e tratados como uma sorte de seres de segunda categoria, sem direito a algumas das garantias constitucionais mais básicas, a Advocacia-Geral da União do governo Dilma já tratou de afirmar que os médicos de Cuba que vierem ao país não terão direito a asilo (vejam aqui).

Temos, então, um órgão que deveria primar pela ordem democrática manifestando-se previamente e servindo de assessoria jurídica a uma tirania. E tudo por quê? Porque o que interessa ao PT é manter as boas relações que historicamente sempre manteve com a ditadura castrista.

Uma vez mais, pouco importa que a amizade entre PT e os comunistas de Cuba seja alimentada com a vida de inocentes. Não interessa a eles que direitos humanos internacionalmente reconhecidos, como base do sistema de liberdades individuais sobre os quais ergue-se o Ocidente, sejam vilipendiados. Nada disso interessa, se o objetivo é manter a agenda de corrupção dos valores “tradicionais”, pois eles precisam erradicá-los completamente para, no lugar, implantar apenas essa relativização moral que vem caracterizando o Brasil petista desde 2003.

Ao PT não interessa acabar com a corrupção, seja ela qual for. Pelo contrário! Eles precisam é solapar paulatinamente as convicções morais da sociedade para que o discurso do “mas isso sempre aconteceu” e do “essas coisas são apenas mal feitos” seja assimilado como verdade. O objetivo aqui não é outro senão o de construir novos imperativos capazes de substituir o senso comum médio. E eles estão tendo sucesso nisso, infelizmente. Um parlamento subserviente, com uma oposição fraca e ocupada em guerras fratricidas é só mais um ingrediente dessa mistura perigosa.

É por isso que apear o PT do poder é urgente e deve ser feito o quanto antes: porque só com ele fora do Planalto poderá ter início qualquer tipo de restabelecimento da democracia brasileira. E isso só poderá acontecer com uma oposição unida, onde personalismos alimentados por derrotas recorrentes não tenham vez.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s