A campanha começou.

Os jalecos, as bandeiras, aquele banner ao fundo… Tudo pode ser explicado. Mas e aquela flâmula sobre a bandeira do Brasil?

Quem acha que o PT ainda está acuado e perdido por conta dos protestos que levaram a uma queda acentuada da popularidade de Dilma, que trate de acordar e ficar esperto. Enquanto a oposição patina e o PSDB ameaça se perder na enésima guerra fratricida, aceitando pressão de quem já perdeu duas eleições presidenciais (e parece muito disposto a perder a terceira), os petistas retomaram a agenda política e colocaram na rua o bloco da campanha de Dilma à reeleição. Eles podem ser muitas coisas, mas não são amadores.

Olhem aquela foto lá no alto e vejam que aula de marketing eleitoral: os médicos, devidamente identificados com seus jalecos (o cidadão comum bate o olho e já sabe do que se trata), desembarcando com bandeiras de Cuba e do Brasil (afetando união entre povos por um bem maior) e uma nada discreta flâmula ostentando o nome de Dilma, colocada sobre a bandeira do Brasil (para que o operário e a dona-de-casa reconheçam rapidamente quem trouxe mais médicos para os pobres).

Esqueçam coisas como “jaleco no hospital é um absurdo” ou “não darão 13º nem hora-extra aos cubanos”. Essas são idéias abstratas demais para o eleitor médio, aquele que (já cansei de repetir aqui) gosta de novela, de BBB e enche as urnas no domingo da eleição. Para o cidadão médio, não importa que sejam suprimidos direitos trabalhistas dos médicos cubanos, ou que eles ganhem apenas 40% da remuneração a que teriam direito: basta que apareça (como apareceu!) uma desprendida médica cubana falando que “não importa o salário, viemos ajudar” para que ele ligue os pontos e agradeça Dilma por tudo.

Apontar as gritantes ilegalidades que caracterizam o programa Mais Médicos, em geral, e a importação de mão-de-obra semi-escrava de Cuba, em particular, continua sendo um dever de quem não se alinha ao petismo. Há que se fazer o necessário debate no parlamento e no judiciário, inclusive recorrendo aos instrumentos legais previstos. Mas é necessário também entender que isso não chega ao grande público, a quem a oposição deverá apresentar, pela TV, soluções alternativas e igualmente atraentes para problemas como a falta de médicos em algumas regiões.

É verdade que poucas vezes na história o Brasil foi tão ultrajado, como quando aceitou servir de capitão-do-mato para a ditadura dos irmãos Castro, agindo para proibir que os médicos cubanos saíssem de seus alojamentos. Sem a menor dúvida isso deve ser denunciado e repudiado com veemência, pois é o fato de rejeitar essa simbiose com um governo sanguinário que nos faz diferente deles. Mas não se pode apostar que discussões baseadas em questões técnicas de direito trabalhista e constitucional chegarão à grande massa, pois não chegarão. Urge que se consiga traduzir esses sentimentos para, então comunicá-los aos eleitores de forma clara, objetiva e empática.

E não é só no marketing eleitoral que o PT vai largando na frente, afinal quem sabe dizer o que será feito do salários dos médicos cubanos, que será repassado diretamente ao governo de Cuba? Porque, vejam bem: se eu, num exemplo hipotético, fosse concorrer a uma eleição e, um ano antes, mandasse dinheiro para um governo amigo em troca de médicos (vejam que causa nobre!), poderia perfeitamente receber uma parte de volta depois, como doação. Seria uma forma muito eficaz de lavar o dinheiro público para que ele fosse colocado a serviço dos interesse de uma candidatura, não é mesmo?

Lógico que estou falando apenas hipoteticamente… Mas alguém da oposição já pensou hipoteticamente nisso? Algum senador ou deputado tucano hipoteticamente já pensou em convocar alguém do governo para se explicar? Ou vamos assistir o tiki-taka eleitoral do PT, acreditando que ele chegará – como era mesmo o termo usado em 2005? – “sangrando” à eleição?

O PT já acordou há tempos e aquela foto lá do início mostra que João Santana já trabalha a todo vapor. Se alguém pretende derrotar Dilma em 2014, é hora de acordar também. E rápido!

UPDATE:

Olha como eles confirmam sempre nossas piores suspeitas:

imagem1

Anúncios

2 ideias sobre “A campanha começou.

  1. Carlos Bonasser

    Caro moderador é isso que vai acontecer, esse negocio de medico cubano já é uma contrapartida do apoio á eleição do lula pelo fidel. Depois de tudo ok, virão milhões para a campanha do PT e não só da dilmalouca. O âmago desse negocio é o futuro repasse para a campanha do PT.
    Um abraço.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s