Arquivo da tag: Mazelas da cidade

#NoAmapáTem FORMIGAS EM QUARTO DE HOTEL!

Essa eu descobri ontem, já tarde da noite, e cheguei a comentar no Twitter. É dessas coisas que só lendo mesmo pra acreditar, porque, olha… Prestenção no texto abaixo, tradução livre de uma matéria publicada no jornal italiano Corriere della Sera (íntegra aqui). Nele, o deputado Domenico Scilipoti conta parte de sua ~aventura~ aqui no Amapá, onde esteve no início deste ano. Acreditem, é sensacional! E mostra que, bem… Macapá ainda não está preparada para receber eventos de qualquer porte…

_____

(…) Também as formigas tomaram como alvo Domenico Scilipoti, o deputado, homeopata, agupunturista e filantropo, que entrou para a história ao salvar o governo Berlusconi, em dezembro de 2010. Tentaram fazê-lo pagar por isso no coração da noite, em seu quarto do hotel, no estado do Amapá, na floresta amazônica. Ali o nosso herói foi dormir sereno e tranquilo depois de um dia “levando ajuda e conforto às pessoas daquela terra martirizada”, mas às quatro da manhã foi obrigado a acordar porque a cama fora completamente invadida por formigas.

Um cobertor formado por pequenos animaizinhos ferozes, que o atacaram em todas as partes do corpo – inclusive naquelas sobre as quais é melhor silenciar.

_____

Alguns breves comentários:

1) HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

2) Cara, que VÁRZEA!

3) E aposto que era um dos ~melhores~ hotéis da cidade!

4) FORMIGAS, mano! FOR-MI-GAS! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

5) E tem ~autoridade~ local que acredita no Amapá como sub-sede da Copa! “A seleção da Botswana cancelou o treino desta manhã, depois que metade da equipe foi ATACADA POR FORMIGAS durante a noite, no hotel.” VÉÉÉÉÉÉI…

6) Eu tento (juro!) não zoar, mas a realidade não permite.

7) Notaram o destaque dele pra “terra martirizada”?! E a galerinha aqui achando que tava abafando! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

8) Será que o nobre deputado levou a ~comida~ para a cama (se é que me faço entender…)?

9) Sério, nenhuma zoação consegue superar os fatos reais! Sensacional!

10) HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

Anúncios

Macapá é uma das 50 melhores cidades…

Pois é, hoje me deparei com a seguinte notícia, divulgada pela Prefeitura desta capital de onde escrevo (os negritos são meus):

Macapá agora pertence a um grupo seleto de 50 cidades do país que mais investiram na preservação do Meio Ambiente, projetos de Infraestrutura Urbana e Bem-Estar Social. O conceituado prêmio “Top Prefeitos 2011” oferecido pelo Instituto Biosfera foi conquistado pelo prefeito Roberto Góes devido aos avanços que a cidade obteve com a realização dos programas Escola Viva, Cidade Legal, projeto Mucajá, dentre outros.

A capital do Estado foi uma das cidades vencedoras, nesta sexta-feira (9), do prêmio TOP Prefeitos 2011. O Instituto Biosfera é uma instituição brasileira que existe há 22 anos e atua no segmento de meio ambiente, desenvolvimento sustentável, sustentabilidade urbana, paisagismo e urbanismo. As ações implantadas na cidade se sobressaíram diante de um grupo com mais 700 municípios participantes de todo o Brasil.

Então… Eu fico aqui pensando como deve ser essas outras seiscentas e tantas cidades, porque, olha… Quem vive aqui sabe bem a várzea que é!

Whatever… Pra que ficar indignado e nervoso, se podemos apenas zoar? Foi o que aconteceu no Twitter, com muita gente dando sua versão de em que Macapá seria “uma das 50 melhores cidades”. Escolhi apenas algumas baseado no critério mais correto, imparcial e eficiente de todos: o blog é meu! Divirtam-se:

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES (bazinga!)” – @yashagallazzi

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” (para ter placa de lojas na esquina e não de sinalização.) – @kathypenha

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” pra se desviar dinheiro público! – @Marcio_Roney

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” entre todas as vilas do Amapá – @OfcGesiel

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” pra ter cinema que só passa filme dublado (e onde o povo clama por isso) – @Mrclpaiva

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES (pra se fazer piada)” – @yashagallazzi

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” para pessoas que já conheceram a Papuda – @eldosantos

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” pra se cuidar da vida alheia – @brunacerveja

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” pra comer tamuatá e arrotar salmão – @LenizeM

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” pra ser assaltado – @Marcio_Roney

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES (do Zimbábue)” – @yashagallazzi

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” (pra testar suspensão do carro) – @raulgemaque

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” para comer peixe pitiú e pagar muito caro por isso – @anagirlene

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES” (pra não acessar a internet) – @brunacerveja

“MACAPÁ É UMA DAS 50 MELHORES CIDADES (só que ao contrário)” – @yashagallazzi

O CQC, as liberdades e a estupidez de se revoltar pelo motivo errado.

ATENÇÃO! Algumas pessoas estão – como direi? – “se empolgando” nos comentários e escrevendo coisas que acabo não podendo publicar aqui… Podemos ser duros com autoridades públicas, sem despejar ofensas pessoais a elas e, principalmente, aos familiares. Na mesma esteira, não adianta escrever dizendo que “fulano defendeu o aumento dos deputados porque tem cargo”, ou que “ciclano falou o que falou no rádio/TV porque ganha jabá”. Esse tipo de acusação direta deve sempre vir acompanhada de prova, senão se torna leviana. Tenho certeza que podemos fazer as críticas que precisam ser feitas, sem desferir golpes abaixo da linha da cintura. Conto com todos!

_____

Ontem o CQC mostrou uma pequena matéria gravada aqui no Amapá, onde enfatizou-se o rematado absurdo que é o valor pago pela Assembléia Legislativa pelos cidadãos aos deputados estaduais, a título de verba indenizatória: nada menos que CEM MIL REAIS POR MÊS!

Tão logo o programa começou, o assunto dominou a timeline dos amapaenses naquele fórum de mensagens curtas conhecido como Twitter. Este rincão de onde escrevo chegou a figurar no pódio dos badalados trending topics (os assuntos mais comentados da rede social)! E a gritaria da bairristada tratou de se fazer ouvir…

Aqui no Amapá impera esse estranho sentimento de amor incondicional às coisas daqui. A saúde pública é ruim? Ah, mas é a saúde pública “da terra”! A classe política é risível? Ah, mas são os políticos “da terra”! As ruas são cheias de buracos? Vai falar o quê? São os “nossos buracos”! Os Buracos “da terra”! O estado das coisas por aqui é tão primitivo, que, em nome desse tal “amor à terra”, boa parte das pessoas se acha no dever de defender mazelas as mais escabrosas.

O divertido, porém, é ver a forma como o fazem…

Ontem, enquanto o CQC falava apenas verdades acerca do Amapá na TV, o mais comum era ver pessoas apaixonadas pela terra tentando justificar as desgraças locais apontando para problemas alheios. “Nós elegemos Sarney? Ah, mas São Paulo elegeu Tiririca! Não tem moral pra falar nada!” Nenhum raciocínio, data vênia, poderia ser mais estúpido. A lógica, percebe-se de pronto, passou ao largo dessas mentes…

Em primeiro lugar, se o único argumento que você tem para explicar algo é apontar o dedo para outrem, significa que você já perdeu a discussão. Percebam: em nenhum momento houve um bairrista apaixonado capaz de dar explicações objetivas acerca dos fatos denunciados pelo programa. Nada! Tudo era respondido através do clássico “dane-se, isso acontece em todo lugar!” O corolário desse – se me permitem… – “pensamento” é sensacional: nada menos que todos os bairristas que ragearam contra o CQC, no Twitter, confessaram, por vias oblíquas, que o programa estava certo! E o que lhes restou? Apontar o dedo para os outros, em vez de abaixar a cabeça e fazer um saudável mea culpa.

Em segundo lugar, cumpre deixar claro que a estratégia do vamos-esfregar-o-Tiririca-na-cara-deles, empregada como vingança por ter tido Sarney esfregado nas próprias fuças, é completamente inútil. Percebam: em qual escândalo de corrupção o deputado-palhaço esteve envolvido? Quantos atos secretos ele assinou? Quantos ministros corruptos indicou nos últimos anos? Pois é…

“Ah, mas ele não é preparado! Não tem formação nenhuma!” Aham, e quem vai lançar-mão desse argumento é justamente o Amapá, este estado fantástico que sempre mandou intelectuais para Brasília?! Façavor…

Pois hoje pela manhã, lá pelas nove e meia, ao sintonizar num programa de rádio cujo nome não conheço (juro!), veiculado pela 94,5 FM, tive a infelicidade de ouvir os apresentadores cobrando providências jurídicas contra o CQC. Sim, é isso mesmo! Pediram que a Procuradoria do Estado e a Assembléia Legislativa acionassem o judiciário contra o programa da Bandeirantes, cobrando – segurem-se nas cadeiras! – indenização por danos morais! Seria apenas ridículo, não fosse trágico…

Quando debatem o futuro político de pessoas que foram presas por corrupção, são sempre cheios de não-me-toques. É “mimimi, todos têm direito à defesa”, pra cá; “blá-blá-blá, não podemos condenar precipitadamente”, pra lá… Nunca vi nenhum desses indignadinhos de ocasião cobrando indenização por danos morais e materiais de quem ASSALTOU O ESTADO! Mas o CQC, percebo, é um inimigo que não pode ficar impune…

Nota-se, de plano, que a noção mais básica acerca do que são as liberdades individuais nunca foi aprendida. Num mesmo contexto em que diziam estar exercendo o direito de se expressar para defender a amada terra, exigiam que o braço judicial do Estado fosse usado para calar um órgão da imprensa! Se alguém consegue vislumbrar um pingo sequer de lógica nisso, espero que me mostre onde está…

Eu não tenho dúvida de que o Amapá seria um lugar muito melhor, se o que provocasse indignação pública de formadores de opinião e autoridades em geral fossem as graves mazelas e deficiências locais, não o fato de denunciá-las. Num estado onde, em pleno século XXI, não há saneamento básico, hospitais de qualidade, ruas trafegáveis e, principalmente, esperança de um futuro melhor, reclamar quando programas televisivos apontam os problemas é, na melhor das hipóteses, ingenuidade. Na pior, é burrice mesmo.

Imaginem que em dado momento do programa um dos apresentadores mandou um “se a Assembléia aprovou o aumento da verba, tem que pagar mesmo! É a lei!” Chega-se ao cúmulo de defender absurdos institucionalizados, simplesmente porque gente que não é “da terra” ousou apontar o dedo pra cá. Eu, que não senti vergonha hora nenhuma, ontem, durante a apresentação do CQC, fiquei profundamente envergonhado hoje, ou ouvir o tal programa de rádio. E o pior: sei que o pequeno trecho do programa que ouvi é apenas um dentre muitos. Ou alguém duvida que outros farão o mesmo?

Defender liberdade de expressão quando o interlocutor diz coisas que agradam é fácil. A verdadeira prova de um democrata é defender a liberdade de expressão quando o que chegam são críticas, denúncias e – por que não? – gozações. Aliás, na liberdade de expressão se encerra, inclusive, o direito de fazer piada, sabiam?

Não deixa de ser revelador que na semana em que duas personalidades locais aqui do Amapá morreram de forma fulminante, vitimadas por uma infecção violentíssima – até agora desconhecida -, haja cidadãos ocupados em criticar um programa de humor que falou – repito! – apenas verdades sobre o estado. Eu teria mais fé no futuro se essa indignação fosse usada para cobrar uma saúde pública de melhor qualidade…

O que se depreende de tudo isso é de causar depressão: o problema não é verba indenizatória, não são as piadas do CQC, ou ter um senador como Sarney no Congresso. O problema são os indivíduos e a mentalidade apequenada que permeia o lugar. O Amapá precisa menos de pessoas que “amem a terra” incondicionalmente, e mais de gente disposta a usar a cabeça para olhar os problemas nos olhos, encarar os fatos, assumir que há vários desastres a corrigir e outros tantos a evitar.

Menos paixão e mais razão. É o conselho que deixo aos meus conterrâneos.

_____

Update: abaixo o vídeo com a matéria do CQC, que tanta revolta causou em alguns bravos amapaenses amantes da terra.

Daily Vídeo – Macapá existe! E foi bombardeada pela OTAN.

Taí o primeiro Daily Vídeo do novo blog. Sim, eu sei que ficou beeem meia-boca. Sim, também sei que o iPhone teria que ter sido segurado na horizontal. Foi a primeira vez que fucei nessa baguaça, cacete! Vê se vocês me dão um desconto aí.

O importante é: queria mostrar o estado lastimável das ruas de Macapá, completamente tomadas por buracos crateras e abismos. Assim a galera off-Amapá, que ainda é a maioria dentre os leitores deste blog, pode ter uma vaga idéia da zona de guerra que é este lugar.

As ruas de Macapá, hoje, estão piores que as de Bagdá, pós-bombardeio americano. A desgraça é que não há perspectiva de melhora (diferente do Iraque, onde agora há asfalto, meio-fio e até internet wifi no centro!!!)…

Bom, taí. Esculhambem à vontade.